A Força dos Pontos de Embuste – Uma nova Regra Para FUDGE

Os Pontos de Embuste são um dos mais poderosos recursos oferecidos pelo Fudge. Como são poucos, devem ser usados com cautela pelos jogadores, e o Mestre também deve procurar impedir seu abuso. Essa nova regra visa evitar abusos e, ao mesmo tempo, premiar o uso adequado dos Pontos de Embuste.
Atenção: Essa regra foi adaptada do RPG Star Wars da West End Games, e do RPG Star Wars da Lucasbooks / Wizard of the Coast. Todos os direitos reservados. A adaptação sem intenção de quebra de copyright. O direito moral dos autores foi preservado.
Podemos dizer que os Pontos de Embuste funcionam como “A Força” do cenário de Star Wars; eles representam uma coisa mais primordial que a sorte simples (como um Atributo Sorte ou um Teste Situacional); eles representam a “Mão do Destino” atuando sobre eles. Eles não podem (ou ao menos não deveriam) serem usados levianamente: os Pontos de Embuste deveriam ser guardados para aquelas ocasiões nas quais o uso deles pode fazer a diferença entra a vida e a morte, ou entre a vitória e a derrota.
Mas pode acontecer de os personagens quererem usar levianamente os Pontos de Embuste: para massacrar mais facilmente o vilarejo orc; para conseguir encontrar rapidamente a droga que irá salvar os habitantes da cidade; ou pior, para conseguir extorquir dinheiro dos habitantes da cidade pela droga!

Para impedir isso, vamos definir agora a regra da Força dos Pontos de Embuste.

Toda vez que um personagem comete algo que, dentro do cenário de campanha, possa ser considerado maligno, e para isso use-se de Pontos de Embuste, automaticamente ele perde um Ponto de Embuste extra para cada Ponto de Embuste usado. Se com isso ele chegar a zero Pontos de Embuste (ou menos), ele ganha uma Falha de Maldição qualquer (inclusive Azar Pleno – o personagem NUNCA MAIS ganhará Pontos de Embuste). Se o Mestre adotar Sorte como Característica, a Maldição pode ser trocada pela perda de um Nível na Sorte (se ela cair para abaixo de Péssimo, a Maldição passará a valer):

“Iolaus, um mago de combate de uma campanha de Fudge Medieval, está caçando alguns necromantes que seqüestraram virgens para seus rituais profanos. No meio do caminho, passa próximo de uma vila de goblins e questiona-os sobre os necromantes. Eles (que obviamente temem os necromantes) nada dizem que possa interessar a Iolaus. Iolaus então decide dar uma lição naqueles estúpidos orcs: ele usa um Ponto de Embuste para ganhar um sucesso automático e diz ao Mestre que vai lançar uma Grande Bola de Fogo no vilarejo goblin para riscá-lo do mapa. Obviamente, esse é um ato maligno, e o mestre o recompensaria normalmente, tomando-lhe um Ponto de Embuste extra, mas como Iolaus possuía apenas o Ponto de Embuste que queimou com o sucesso automático, o mestre lhe dá uma Maldição: nunca mais ele conseguirá ter nada além de seu cavalo e sua espada.”

O egoísmo pode ser uma ótima forma de salvar a pele, mas no caso do RPG Fudge, normalmente imagina-se que os heróis vão agir de modo heróico, mesmo em Cyberpunk e outros cenários aonde os heróis têm que ser espertos vez por outra. Caso um personagem use-se de seus Pontos de Embuste de uma forma egoísta (por exemplo, tentando extorquir dinheiro das pessoas que os pediram para ajudá-los), o personagem perde aqueles Pontos de Embuste permanentemente, como na regra padrão do Fudge.
“Hans e Kojiro são dois shadowrunners que estão em uma missão de obter segredos militares da Sakajima Corp., uma das grandes corporações de NeoCity (nome original que o Mestre deu, não?). Durante um tiroteio básico entre os dois e alguns guardas, ambos feriram-se, sendo que Kojiro feriu-se no peito. É quando os dois vêem um emplastro medicinal no bolso de um dos guardas. Hans e Kojiro correm, e o jogador de Hans decide usar um Ponto de Embuste para conseguir um sucesso automático e alcançar o emplastro antes de Kojiro para usar em si mesmo. Mesmo em um mundo cyberpunk, isso é considerado egoísmo (o mano tá mal, Hans!), e com isso Hans perde permanentemente esse Ponto de Embuste.
O Heroísmo deve ser recompensado em qualquer campanha de RPG, e essa é uma das formas de se recompensar o heroísmo: se um personagem usar Pontos de Embuste ao agir de forma heróica (não necessariamente no momento certo, mas de forma heróica), ele recebe de volta os Pontos de Embuste usados, ao final da sessão de jogo (ou antes, se o Mestre achar apropriado):
“Preston é um paramédico renomado que, durante um evento ao qual compareceu, acaba pegando uma batata-quente: uma pessoa envenenou o vinho de um grande líder mundial com uma droga que ele desconhece. Ele então decide queimar um Ponto de Embuste para gerar uma coincidência (o Mestre da campanha permitiu isso): ele, curiosamente, consegue detectar que a droga colocada na bebida do líder mundial é uma espécie de neurotoxina, que, embora desconhecida, causa sintomas que ele sabe como tratar. Ele faz o tratamento sintomático e consegue manter o líder vivo até a chegada das equipes de resgate. Se não fosse pela ação heróica de Preston, um tratado de paz não teria sido assinado e dois países estariam em guerra agora. Por isso, o Mestre agracia Preston devolvendo-lhe o Ponto de Embuste gasto após o final da sessão de jogo.”

A sorte vem para aqueles que acreditam nela, principalmente quando agem de forma abnegada (e em geral colocando a própria vida em risco). Caso o personagem aja de forma abnegada, o personagem recebe de volta os Pontos de Embuste usados E um segundo Ponto de Embuste extra POR PONTO USADO. Ou seja, ele recebe o dobro dos Pontos de Embuste usados.

“Rick é um agente do FBI que está em uma situação de crise: seu celular parou de funcionar. Isso não seria nada demais se um bando de terroristas malucos não tivessem fechado o prédio e colocado uma bomba de gás Sarin dentro dele! Depois de muitos problemas (e com a ajuda de algumas pessoas), ele localiza a bomba, mas ela é muito complexa para ser desarmada. Rick percebe que se ele falhar, não apenas ele mas muitas pessoas irão morrer. Então ele queima um Ponto de Embuste para garantir um sucesso automático no seu teste de Desarmar Bombas (que por sinal é Ruim). Ele corta os fios certos e consegue salvar todos. Os terroristas são pegos e Rick recupera o Ponto de Embuste usado e ganha mais um! A vida presenteia aqueles que cuidam dela, pensa Rick.

Limites para Pontos de Embuste:

O Mestre pode querer definir um limite para o máximo de Pontos de Embuste que o personagem pode ter. Em geral, se isso for feito, aconselhamos que o Mestre compense o fato dando ao personagem PEX ou outros bônus (4 PEX por Ponto de Embuste acima do limite é um valor bastante apropriado, assim como Bençãos relacionados à situação em questão):
“O Mestre da Campanha de Rick definiu que nenhum personagem pode ter mais que 4 Pontos de Embuste, mas com o Ponto de Embuste ganho, Rick fica com 5. Então, o Mestre decide tomar o Ponto de Embuste extra de Rick, mas em troca dá a Rick uma Benção, que ele aloca em Status: Rick passa a ser conhecido por ter salvo todos aqueles inocentes.”
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s