Mini-Cenário para FATE: Freqüência Global

(Baseado nos quadrinhos de Warren Ellis Global Frequency)

O mundo pós-Guerra Fria pode parecer uma maravilha para a pessoa que não consegue ver além das entrelinhas. Claro que não temos mais a ameaça nuclear e que a Internet nos coloca em contato uns com os outros. Mas existe tanta segurança assim no mundo?
Mil e três pessoas no mundo sabem que não.
Alienígenas usando memes para dominação mundial. Cultos bizarros querendo explodir civis. Experiências militares descontroladas ameaçando populações inteiras sem que elas saibam. Terroristas que ameaçam contaminar cidades inteiras com vírus mortais.
Nessas horas, qualquer um entre mais de 1001 especialistas pode receber uma chamada telefônica em seu celular especial e ouvir:
“- Aqui é a Aleph e você está na Frqüência Global!”
Nessas horas, as habilidades são colocadas à prova, não importando se é um físico teórico, um mágico, um ex-Força Delta ou uma praticante de Le Parkour. Em suas mãos jaz a chance de que o mundo continue em paz e que não seja destruído/dominado/colocado em caos por o que quer que seja. Não existe outra resposta: a Freqüência Global é chamada apenas quando tudo mais dá errado. Um ou mais dos 1001 especialistas da Freqüência Global passa a atuar para vencer a ameaça (qualquer que seja), coordenados por Aleph, a “telefonista” cyberpunk que coordena todas as ações e por Miranda Zero, a enigmática diretora e criadora da Freqüência Global. Muitas vezes, nenhum agente da Freqüência Global conhece outro até que atuem em conjunto em missões. Algumas vezes, variados especialistas são reunidos para dar apoio à equipe de campo, que pode até mesmo se resumir a apenas um operativo.
A Freqüência Global é um produto do Século XXI: é trans-nacional e civil (apesar de ter ocasionais militares entre seus especialistas), atuando como uma força dinâmica alocada conforme a necessidade globalizada. Um agente em Melbourne pode atuar com um outro londrino que por um acaso esteja por perto, recebendo apoio de um agente vivendo em uma pequena tribo na Uganda e de um hacker misterioso vivendo no Brasil. As forças são unidas e alocadas por meio dos celulares e de Aleph. Para resumir, a Freqüência Global seria uma Smart Mob, um coletivo de pessoas unidas em uma ação coordenada rapidamente por meio de tecnologias de comunicação objetivando um determinado fim. No caso, salvar o mundo.
E aí, seus personagens estarão na Freqüência Global?

Cenário

O mundo de Freqüência Global é o mesmo do nosso. Existe McDonalds, Crepúsculo é um sucesso e o aquecimento global ainda é uma preocupação.
Mas existe algo mais.
Ameaças surgem devido ao nosso estilo de vida, à nossa história. São como esqueletos no armário global, esquecidos até que se revelem, prontos para tentar acabar com nosso modo de vida.
Experiência Genéticas. Cyborgs. Psiquismo. Armas biológicas. Guerra psíquica. Cyber-guerra.
São essas ameaças que a Freqüência Global enfrenta. Apesar de a pessoa normal não saber, essas são ameaças sérias: sejam resultados de projetos ultra-secretos ou recebidos por meio de mensagens vindas do espaço (ou apenas da mente maluca que nela acredita), essas são ameaças reais para os especialistas da Freqüência Global.

O que as pessoas sabem sobre a Freqüência Global?

A Freqüência Global pode ser entendida como um “segredo aberto”: é de conhecimento público sua existência, mas seus integrantes e ações são totalmente desconhecidas. As últimas até mesmo dos especialistas.
A Freqüência Global não possui sede. Não é aliada a nenhum país em especial (embora receba verbas de países do G8 para suas ações). Não possui nenhum “líder”, à possível exceção de Aleph ou Miranda Zero. Não possui hierarquia. Seus especialistas conhecem-se uns aos outros apenas conforme a necessidade. Não possuem alianças ou inimizades intrinsícas com nenhum grupo. Ou seja, como “organização” real não existe. Por isso ela é tão efetiva para combater ameaças quando tudo o mais falha.

Aspectos da Freqüência Global:

[][][] Debaixo dos Panos
[][][] Smart Mob
[] Aleph
[] “Segredo Aberto”

“Perícias” da Freqüência Global:

[][][][] Forças(Diversas) Lendário
[][][][] Comunicações Lendário
[][][][] Influência(Global) Ótimo
[][][] Unidade Lendário
[][][][] Recursos(Global) Ótimo
[][][][] Informações Ótimo
[][][] Segredo Bom
[][][] Reputação Bom
[][][] Conhecimento Bom

PS: A Freqüência Global é um caso a parte como organização, portanto não segue as regras de Escada.

Os Especialistas

As 1001 pessoas que fazem parte da Freqüência Global são escolhidas por Miranda Zero em pessoa e recebem apenas dois itens: uma mala especial com uma jaqueta e/ou camisa com o símbolo da Freqüência Global (um círculo com quatro setas distantes 90 graus cada uma da outra) e um telefone celular especial. É por meio desse telefone que Aleph ou Miranda Zero consegue localizar qualquer um dos integrantes da Freqüência Global e pode localizar os mais aptos que possam ser convocados em tempo hábil para enfrentar qualquer ameaça à civilização. Também por meio dele pode ser conectado qualquer grupo de especialistas para apoio aos agentes de campo.
Em termos de regras de criação de personagem, é importante para o Mestre ter noção de que os Especialistas da Freqüência Global são pessoas MUITO competentes em suas áreas. Assassinos, praticantes de Parkour, mágicos, parapsicólogos, hackers, físicos teóricos… Não importa. Miranda Zero escolhe apenas os melhores para trabalharem para a Freqüência Global. Portanto, normalmente um Especialista é alguém com MUITAS Fases (sugere-se 6 ou mais) e MUITOS Pontos de Destino (sugere-se proporção de 2 Pontos para 3 Fases ou 1 Ponto por Fase). Regras de Potencial  (Seção 6.3) e Destino (Seção 6.3.1) podem ser usadas para explicar personagens em teoria mais fracos ou coisas do gênero. Exigir que personagens tenham perícias altíssimas é muito válido, o que pode ser feito tanto dando uma grande quantidade de Aspectos ou utilizando Perícias em Coluna (Seção 7.9). Extras poderão ou não ser cobrados, mas sugere-se que não, exceto no caso de coisas MUITO diferentes, como braços cibernéticos, habilidades místicas ou coisas similares. Novamente, os Especialistas possuem habilidades altíssimas, e o equipamento deveria ser condizente.
A única obrigatoriedade que o personagem possui é ter no mínimo dois Aspectos: um é o Aspecto Freqüência Global, indicando que a pessoa faz parte da Freqüência Global e o outro é um Aspecto que indique sua especialidade. A descrição não importa nesse último Aspecto, sendo apenas obrigatório que o personagem tenha mais níveis no Aspecto de especialidade o que em Freqüência Global.

O Aspecto Freqüência Global:

Você é um Especialista de alto nível que atua como parte da misteriosa organização de salvamente Freqüência Global. Como tal, você é extremamente competente em uma área de atuação, podendo ser convocado para auxiliar outros especialistas a enfrentar ameaças de diversos níveis, sempre muito arriscado.

  • O Jogador pode invocar esse Aspecto para: obter ajuda de outros especialistas em uma ação da Freqüência Global; ter acesso a equipamentos para missão; “contornar” possíveis resultados negativos de ações que foram necessárias para uma ação da Freqüência Global;
  • O Mestre pode invocar esse Aspecto para: forçar a pessoa a agir em favor da Freqüência Global, mesmo quando isso lhe é incômodo; colocar situações realmente problemáticas para o personagem se envolver; envolver o personagem em ações da Freqüência Global quando isso lhe é ruim;

Alguns Especialistas:

A seguir mostramos alguns Especialistas da Freqüência Global e alguns Aspectos relevantes (apenas Aspectos), além de seus números de identificação e atuações recentes:

Atenção: Essa seção contêm spoilers da primeira Edição Encadernada de Freqüência Global. Caso não deseje estragar sua diversão, ignore essa seção. Você foi avisado!!! 

John Stark (n° 288):

  • Ocupação: ex-Força Delta
  • Ações Recentes: impediu um teleportador soviético de teletransportar uma bomba atômica para o centro de San Francisco
Aspectos:
  • Força Delta [][][][]
  • Freqüência Global [][][]

Misha Norton (n° desconhecido):

  • Ocupação: desconhecida (aparentemente Hacker)
  • Ações Recentes: atuou como especialista no caso do teleportador soviético, identificando um potencial buraco negro (buraco de minhoca) que estava começando a ser aberto pelo teleportador
Aspectos:
  • Hacker [][][]
  • Freqüência Global []

Membro 436:

  • Ocupação: agente secreta da CIA
  • Ações Recentes: deu suporte à equipe da Freqüência Global que parou o aprimorado vivo (cyborg) Richard Quinn
Aspectos:
  • Agente Secreta (CIA) [][][]
  • Freqüência Global [][]
  • Cyborg []

Notas: Ela possui um braço biônico que além do Aspecto lhe custa um nível de Perícia como Extra

Lana Kennedy (n° 884):

  • Ocupação: ex-conselheira militar/especialista em neuroprogramação e memética
  • Ações Recentes: impediu que uma meme (idéia que se auto-prolifera) alienígena dominasse o mundo
Aspectos:
  • Neuroprogramação [][][]
  • Bissexual []
  • Freqüência Global []

Alan Crowe (n° desconhecido):

  • Ocupação: mágico
  • Ações Recentes: auxiliou no caso de loucura coletiva de um vilarejo norueguês após o incêndio de uma igreja
Aspectos:
  • Magia [][]
  • Pensar com Perspectivas Não-Convencionais [][][]
  • Freqüência Global []

Sita Patel (n° 992):

  • Ocupação: pungista/artista plástica/praticante de Le Parkour
  • Ações Recentes: escalou a London Eye (a roda gigante do rio Tâmisa) para impedir um terrorista de liberar uma versão modificada de Ebola em Londres.
Aspectos:
  • Le Parkour [][][]
  • Pungista [][]
  • Freqüência Global []
Anúncios

6 comentários em “Mini-Cenário para FATE: Freqüência Global

  1. philsouza disse:

    Uhu! Maneiro! Incrivel como os aspectos facilitam na hora de criar um cenário!

    • Essa é uma das grandes belezas do FATE: é possível criar adaptações de maneira extremamente rápida, bastando para isso você estipular algum tipo de Aspecto ou combinação de Aspectos para representar os personagens. E isso é uma constante que eu adoto em todos os mini cenários (veja o do Trauma Center ou o dos Ursinhos Carinhosos, por exemplo)

  2. oneiros_fe disse:

    já sei como engrenar aventuras baseadas em Fringe hehehe obrigado.

  3. superpazzesco disse:

    Estou criando um mundo e decidi usar o FUDGE.

    Para ver o (pouco) que já tenho sobre o mundo acesse http://ixus.wikispaces.com/

    Obrigado por apresentar esse sistema pra mim!

  4. oneiros_fe disse:

    olá, gostaria de pedir um favor, eu tenho o FATE/AFIM rediagramado e após uma matéria do .20 (http://www.dot20.com.br/2010/03/23/dossie-fate-3-0/) fiquei com algumas duvidas sobre as versões do FATE, poderiam colocar uma matéria com as diferenças entre o FATE/AFIM rediagramado (que eu acho que é a segunda edição) e o FATE 3.0 do SofC. please seria de grande ajuda

    • Boa sugestão… Ando meio sem tempo para mexer com o FATE atualmente, mas estarei divulgando algumas coisas. As diferenças que eu diria são mais perceptíveis é a introdução da mecânica de Façanhas como algo “padrão” do sistema (antes era uma sugestão), mudanças no sistema de Aspectos (antes você podia ter Aspectos multinivelados, no SotC isso caiu por terra) e o novo sistema de Dano Físico e Mental, que foge do padrão do Fudge e emplaca o sistema de Conseqüências e Concessões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s